quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Quanto maior a carga, maior o ganho de massa?


Existe uma busca constante de possíveis estratégias capazes de maximizar a resposta adaptativa para o treino de força. Será que a frase No Pain, No Gain ainda está de pé?

Uma meta-análise, (Schoenfeld et al, 2016) que incluiu estudos que compararam o efeito do treinamento de força utilizando cargas abaixo e acima de 60% de 1RM (1 repetição máxima, parâmetro para prescrição e identificação de intensidade de treino) para avaliar as adaptações musculares por, no mínimo, 4 semanas, e concluiu que independente da carga, se for atingida a falha concêntrica, haverá estímulo capaz de promover hipertrofia.

Outro estudo (Mitchell et al, 2012), similar ao citado anteriormente, também comparou intensidades utilizando repetições até a falha durante 10 semanas. O resultado foi que a hipertrofia muscular pode ser alcançada tanto em altas (80%) ou baixas (30%) intensidades.
Mas no artigo da semana passada você não disse que não precisava treinar até a falha para atingir a hipertrofia? Disse sim, desde que você trabalhe com cargas elevadas! No caso de cargas menores, essa hipertrofia é atingida, porém a falha concêntrica é necessária.

No geral podemos ver que cargas inferiores a 50% podem sim promover estímulos hipertróficos!! Porém, maiores ganhos de força foram vistos em intensidades mais altas (80% de 1RM). Ah, e as mudanças morfológicas foram analisadas via biópsia muscular, densitometria, imagem e circunferência, ou seja, métodos de resultados bastante fiéis.

#TaynanLuchiPersonal #Consultoria #Força #Emagrecimento


Para baixar nosso e-book grátis com dicas de sucesso para a reeducação alimentar, clique aqui.
Para ver mais sobre alimentação, clique aqui.
Para ver mais sobre exercícios físicos, clique aqui.
Para ver mais sobre receitas fit, clique aqui. 

Personal Trainer e Mestrando em Bioquímica do Exercício
Apaixonado em endorfina e transformar corpos!
@taynanluchi


0 comentários:

Postar um comentário