segunda-feira, 7 de março de 2016

Treinamento Funcional - o que todos devem saber! - parte 2

Já falamos aqui sobre o treinamento funcional, como ele pode substituir a musculação e da importância da amplitude nesse tipo de treinamento (aqui o que importa é a amplitude do movimento, e não as cargas, já que muitas vezes trabalhamos com o peso do corpo).
 
Funcional: utilização do peso corporal
O Que Caracteriza o Treinamento Funcional
 
O Treinamento Funcional trata-se de uma técnica de trabalho físico que tem como base a execução de sete movimentos primários, que são utilizados pela espécie humana desde os primórdios, fundamentados em: agachar, levantar, puxar, empurrar, avançar, abaixar e girar. Dessa forma, o treinamento funcional pode adequar-se à especificidade dos exercícios de musculação, baseados na realização de movimentos com boa amplitude angular e com estímulos diferenciados para o sistema musculoesquelético.
Ainda confuso?
Para esclarecimento, basta dizer que esses sete movimentos primários do treinamento funcional, originam a maioria (se não todos) os movimentos da musculação.
Estudos relataram a associação do Treinamento Funcional com a melhoria dos aspectos neurológicos que afetam a capacidade funcional do corpo, a melhoria da força, hipertrofia muscular, melhora do equilíbrio, aprimoramento da postura, dentre outros benefícios.
Você deve estar se perguntando: “mas de que maneira o Treinamento Funcional é capaz de causar hipertrofia muscular?”
 
 
Contribuição do Treinamento Funcional na Hipertrofia Muscular
 
Em síntese, o Treinamento Funcional torna nossos músculos mais eficazes para a produção de força em determinados movimentos.
Na musculação, quando se objetiva o ganho de massa muscular, não é apenas a carga do exercício que importa, mas sim a qualidade na execução dos movimentos. Logicamente que a intensidade é muito importante, mas esta só poderá ser bem aproveitada quando o movimento é feito de maneira correta, mesmo que a carga não seja tão grande. É necessário lembrar esse conceito: se o objetivo é a hipertrofia, treine o músculo e não a força.
O Treinamento Funcional age de forma inteligente em nosso organismo, por ensinar nosso corpo a fazer os movimentos corretamente e recrutar e hipertrofiar os músculos certos!
Um exemplo típico que pode explicar esta influência é o movimento do exercício para peitoral (supino). Neste, inúmeros praticantes (na maioria iniciantes), costumam realizar séries com cargas elevadíssimas, executando movimentos desnecessários com o ombro e com a coluna para compensar a falta de força nos músculos alvo (peitoral). Como resultado, não teremos boa hipertrofia de peitoral, adquirimos assimetria nos braços, e ainda corremos o risco de levar pra casa uma bela lesão na coluna, cotovelos ou ombros.
Mas, se o mesmo praticante do supino fosse adepto de um bom treinamento funcional, seu sistema neuromuscular iria recrutar as unidades motoras adequadas o suficiente para vencer a resistência (carga), acionando corretamente os músculos necessários para tal, realizando o exercício com boa amplitude de contração e extensão, evitando movimentos desnecessários e diminuindo o risco de lesões.
Em outras palavras, em nada adianta realizar o exercício de supino concentrando o dispêndio de energia em tríceps e ombro, esquecendo que o principal objetivo deste exercício é o desenvolvimento do grupo peitoral.
Agachamento Afundo
Exemplos Básicos de Exercícios Funcionais
 
Se, por exemplo, durante a musculação convencional, o indivíduo precisa reforçar os músculos extensores do joelho, na maioria das vezes este aluno senta-se em uma mesa e estende a perna para cima, e faz isso com elevadíssimas cargas, causando dores musculares. Esse movimento existe no seu dia-a-dia?
O Treinamento Funcional troca esse exercício por um que se assemelhe a atividades do dia a dia: o agachamento unilateral, também conhecido como “afundo”. Como resposta, o sistema muscular terá um pouco de dificuldades em equilibrar-se no início, mas o encontro deste ponto de equilíbrio será responsável por grande parte do objetivo final do exercício.
Estes exercícios podem gerar hipertrofia da mesma maneira que a musculação convencional e deve ser incluído como parte integrante do treinamento de pessoas que estão em fase inicial de adaptação, pois neste tipo de exercício, aprendemos a movimentar-se adequadamente e a identificar a contração dos músculos, melhorando nossa consciência corporal e intensificando o treinamento.
 
Concluindo
De um modo geral, pode-se dizer que o Treinamento Funcional é extremamente eficiente na preparação muscular, contribuindo à hipertrofia e ao desenvolvimento da força, à coordenação, ao equilíbrio, bem como no aperfeiçoamento dos controles neurais. Este método de treinamento pode ser adaptado a cada indivíduo de acordo com seu objetivo e suas capacidades físicas.
Portanto, se você é da turma que não curte a musculação, o treinamento funcional pode ser uma excelente alternativa!
Se ficou alguma dúvida, deixe sua pergunta que eu respondo!
 
Felipe Toscano Destefani, personal trainer, formado pela UFES. Atua nesse mercado há 15 anos. Especialização (Latu Senso) em treinamento desportivo e treinamento funcional.
 
Ao longo do meu processo de reeducação alimentar, quando perdi mais de 18kg, aprendi que organização é essencial para o sucesso! Reuni 10 dicas infalíveis de organização e planejamento em um e-book para ajudar quem quer seguir o mesmo caminho. Para baixar, clique aqui:http://eepurl.com/bN_OUv
É grátis! =)

3 comentários:

  1. FELIPE, PARA SER TREINAMENTO FUNCIONAL É NECESSÁRIO QUE O TREINO SEJA FEITO EM FORMA DE CIRCUITO?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei... antes de tudo, obrigado pelo contato;

      O TREINAMENTO FUNCIONAL é uma metodologia de trabalho ainda mais dinâmico, ou que vai mais além do somente um circuito. Ele é caracterizado por mesclar diferentes capacidades físicas em um único exercício. Assim, o foco passa de um grupo muscular isolado para todo o corpo, onde os movimentos trabalham a força muscular, a flexibilidade, o sistema cardiorrespiratório, a coordenação motora e o equilíbrio.
      Como eu costumo dizer a meus alunos, um treinamento funcional é aquele que funciona para você, sua vida, mas principalmente para seu cotidiano e objetivos.
      Portanto, Circuito é APENAS UMA das ferramentas usadas pelo treinamento funcional para atingir as suas valências corporais.

      Atenciosamente
      Felipe Toscano

      Deixe suas duvidas, perguntas e comentários, terei um enorme prazer em responder.

      Excluir
  2. Entendi......

    Cara, perguntei isso porque estava malhando em um estúdio que o professor vendia a aula como treinamento funcional, mas eu fazia exercícios atuando em um grupo de cada vez porém em circuito, ex.: flexão, supino, tríceps testa e agachamento (não lembra se fazia especificamente este ciclo, exemplo ilustrativo), intervalo e repetia pra completar às séries.

    Enfim, pra mim isso não era funcional e eu procurei essa modalidade por indicação médica após uma lesão de tornozelo.

    Agora outra dúvida: o crossfit pode ser considerado treinamento funcional? Obrigado.

    ResponderExcluir