Vix Saudável

Seguir um estilo de vida saudável na grande Vitória agora ficou mais fácil!

Coma comida de verdade!

Aquela que não tem rótulo!

Mas no caso da comida ter rótulo...

...aprenda a ser um leitor deles!

Exercite-se

Nós fomos feitos para ficar em movimento!

Cuide bem do seu corpo

Você vai morar nele a vida inteira

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

#Vixreceitas Barrinha de cereal caseira

A barrinha de cereal é um alimento super prático para quando não temos tempo de preparar nossos lanches e precisamos de algo rápido e prático para colocar na bolsa.

O grande problema é que boa parte das barrinhas de cereal do mercado que se dizem saudáveis, não são de verdade. E as poucas que são nem sempre são fáceis de encontrar e não são tão baratas também. Já falamos sobre barrinhas aqui.

Por isso, nossa receita de hoje é de barrinha caseira, garantidamente saudável, muito nutritiva e barata!


INGREDIENTES

- 2 bananas bem maduras pequenas
- 2 xícaras de aveia (em flocos grossos, finos ou farelo - nesta receita usei flocos grossos)
- 1 colher de sopa de farinha de linhaça
- 1 colher de sopa de chia
- 1 colher de sopa de pasta de amendoim
- 1 colher de sopa de cacau
- 100g de frutas secas (tâmara, damasco ou passas - usei passas)
- 100g de castanha triturada (usei amêndoas que tem uma boa quantidade de proteínas)
- Essência de baunilha a gosto
- Canela a gosto


MODO DE FAZER

Misture os ingredientes até ter uma consistência de massa (como usei flocos grossos de aveia que são mais difíceis de se unirem ao resto da massa, amassei com as mãos mesmo), espalhe em uma forma untada com óleo de coco e leve ao forno pré-aquecido a 180 graus por 20 minutos. Depois que esfriar é só cortas em tiras. Rende aproximadamente 10 porções.




Quem testar a receita, não esqueça de postar uma foto bem linda usando a hashtag #vixreceitas



DICA: Para deixar suas receitas saudáveis ainda mais saborosas, aprenda a utilizar temperos naturais e como combiná-los de forma a deixar sua comida mais deliciosa sem deixar de ser saudável. O guia de temperos foi criado pela nossa colunista Chef Susan Martha. Saiba mais sobre o guia de temperos aqui.

A Susan também desenvolveu um guia de reeducação alimentar com mais de 90 páginas com receitas simples, saborosas e calculadas para caber no seu orçamento. Saiba mais aqui. 

Para baixar nosso e-book grátis com dicas e receitas para a reeducação alimentar, clique aqui.

Para ver mais sobre alimentação, clique aqui.


Para ver nossas matérias sobre exercícios físicos, clique aqui.
Para ver nossas matérias sobre procedimentos estéticos e fisioterapia, 
clique aqui.
Para conhecer nossas receitas saudáveis, 
clique aqui.

Meu nome é Maísa Pimenta, tenho 32 anos, casada. Sou engenheira de produção e um belo dia não entrei na minha calça 44. Decidida a não aumentar mais um número voltei ao manequim 38 com a ajuda de profissionais muito competentes. Apaixonada pelo novo estilo de vida decidi criar esta plataforma para ajudar quem queira seguir o mesmo caminho.

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Anticoncepcionais x emagrecimento



Os Anticoncepcionais afetam o ganho da massa magra e a redução de gordura corporal em mulheres?
Desculpem desanimá-las, meninas, mas a resposta é SIM!

A grande maioria dos anticoncepcionais é uma fórmula sintética composta por  dois hormônios femininos: o estrógeno e a progesterona. Ambos atuam inibindo a ovulação e, consequentemente, evitando a gravidez.

Bom, até aí tudo bem... Porém, quando os anticoncepcionais chegam no fígado, eles são metabolizados estimulando a produção de SHBG que é uma proteína que se liga à testosterona diminuindo sua disponibilidade no organismo feminino, consequentemente reduzindo os níveis desse hormônio (testosterona).

A testosterona é um hormônio esteroidal anabólico, presente nas mulher em níveis 20 a 30 vezes inferior aos níveis encontrados nos homens. Portanto, naturalmente a mulher já possui uma maior dificuldade em ganhos musculares se comparadas aos homens.

A lógica é a seguinte: Quanto menos testosterona, menos libido, maior a facilidade de ganhar gordura corporal e dificuldade em reduzi-la, maior a dificuldade em ganhar massa muscular e facilidade em perde-la e, consequentemente, maior probabilidade de ter mais celulite e flacidez.

Não estou dizendo que as mulheres que fazem o uso não irão obter resultados positivos em relação ao ganho de massa muscular, redução de gordura corporal etc. Porém, se você mulher que faz o uso de anticoncepcionais e está apresentando alguma dessas dificuldades citadas a cima, pode estar havendo sim uma forte correlação com o uso de contraceptivos orais, mesmo treinando e fazendo dieta. Sugiro que converse com seu médico de confiança para que busquem alternativas melhores para atingir seu tão sonhado objetivo.

Quer receber todas as receitas e novidades do nosso site? Clique aqui para se cadastrar!

Para baixar nosso e-book grátis com dicas e receitas para a reeducação alimentar, clique aqui.

Para ver mais sobre alimentação, clique aqui.

Para ver nossas matérias sobre exercícios físicos, clique aqui.
Para ver nossas matérias sobre procedimentos estéticos e fisioterapia, 
clique aqui.
Para conhecer nossas receitas saudáveis, 
clique aqui.

Aline Blanc é nutricionista e coach, especialista em nutrição clínica, esportiva e emagrecimento. Apaixonada pela nutrição e pela comida de verdade, passa longe dos modismos que rodeiam a nutrição atualmente. Acredita que a melhora na qualidade de vida e na estética corporal é conquistada através de uma alimentação saudável, simples, verdadeira, acessível e sustentável para qualquer pessoa. Conheça melhor seu trabalho nas suas redes sociais: www.facebook.com/alineblancnutri e @alineblancnutri no instagram

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Bacon é vida... será?!




            Ultimamente é muito comum vermos posts de refeições que se dizem saudáveis com a presença ilustre do bacon. Será que este bacon realmente é saudável? Trará os benefícios à sua saúde? Será que todos podem consumir? E a porção, será a mesma para todos? Ou é só visualizar um prato de uma blogueira ou até mesmo de um nutricionista e fazer igual?

            Um relatório recente da Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou um alerta em relação aos alimentos embutidos. Segundo uma pesquisa feita pela Agência Internacional de Pesquisas sobre o Câncer (Iarc), embasada por mais de 800 artigos, o consumo dessas substâncias aumenta em 18% o risco de câncer. A Iarc descobriu que o consumo de 50 g de embutidos aumenta 18% o risco de câncer colorretal. Os alimentos aos quais eles se referem são especialmente os preparados com carnes: salsicha, presunto, linguiça, carne enlatada e carne seca. Segundo estudo da OMS, 34 mil pessoas morrem  por ano devido ao consumo de carne processada.

            Antes de existir a geladeira, os alimentos precisavam ser consumidos no mesmo dia em que eram preparados ou então precisavam ser conservados através da utilização de fumaça e sal. E foi dessa forma que surgiram as carnes defumadas e o famoso e amado bacon.

            A carne processada é aquela que foi modificada para melhorar seu sabor ou sua preservação por meio de salga, secagem, fermentação, defumação ou outros processos. A maioria delas contém carne de porco ou de boi, mas também pode ter outros tipos de carne ou produtos como sangue.

Mas nutri, e se eu fizer um bacon artesanal resolveria a situação? Bom, se formos comparar entre o comercial e o artesanal, o último provocará menos malefícios à saúde. Mas isso não significa que o bacon artesanal possa ser consumido sem moderação. “A receita feita em casa, além da carne, possui açúcar e sal de cura: nitrito ou nitrato de sódio. Esses ingredientes também têm potencial cancerígeno”, adverte. Por isso, o importante é moderar na quantidade.

            O bacon comum tem conservantes, estabilizantes, antioxidantes, espessantes, corantes e realçadores de sabor, passa pelo processo industrial com nitratos e nitridos adicionados, fumaça líquida, e glutamato monossódico. O artesanal será menos pior justamente por não conter tantos aditivos.

            Desta maneira eu como profissional da saúde não indico qual é o melhor, mas sim, dentre os dois o que provocaria menos malefícios ao organismo: o artesanal. Mas é sempre bom lembrar, vamos utilizar o bom senso. Paremos com inversão de valores, dietas da moda, imitações de dietas alheias! Consuma comida de verdade. Quanto mais natural for o alimento, com certeza a saúde agradecerá e muito!

E independente da fonte, moderação e autoconhecimento é a chave para a boa saúde.

Vá até um Nutricionista e este sim calculará e repassará o que realmente o seu corpo necessita.





Para baixar nosso e-book grátis com dicas de sucesso para a reeducação alimentar, clique aqui.
Para ver mais sobre alimentação, clique aqui
Para ver nossas matérias sobre exercícios físicos, clique aqui.
Para conhecer nossas receitas saudáveis, 
clique aqui.



Nutricionista Isabela Faria Campos    
CRN-ES 13101141
Sócia e Proprietária da Clínica Espaço Nutrir. Graduada no curso de Nutrição pela Universidade Federal do Espírito Santo.
Pós graduada em Nutrição Funcional e Nutrigenômica: Implicações Práticas na Nutrição Clínica e Esportiva. Mestranda em Ciências da Saúde pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.
Nutricionista voluntária na Associação Crescer Com Viver. CRN.ES-13101141

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Falando de musculação: experiência é tudo! Ou não...


Quando falamos em musculação, a experiência prática tem uma importância muito grande. Através dela é possível ter grande conhecimento sobre o próprio corpo, técnicas de execução dos exercícios avançados, muita habilidade com halteres e máquinas, entre outros. E quando os professores de musculação têm a oportunidade de prescrever o treino para uma pessoa com tanta experiência, ele certamente busca explorar ao máximo todas essas capacidades. Porém, eventualmente, alguns praticantes de musculação cometem o erro de começar, por conta própria, a montar o seu planejamento de exercícios.

Isso, até certo ponto, é superinteressante, porque normalmente essas pessoas vão atrás de informação (normalmente internet) e adquirem certo conhecimento. E quanto mais conhecimento possuirmos, melhor. Mas preciso pontuar alguns problemas que ocorrem com essa auto-prescrição:

·         Fonte insegura. A internet é fundamental para a busca de informações para grande parte da população brasileira (e se você está tendo acesso a este texto é graças a ela). Mas, infelizmente nem tudo que está sendo compartilhado na rede é de origem segura, muito menos confiável. O que NOS torna vulneráveis à informações e notícias falsas a qualquer momento. Por isso, atenção: Muitas informações que são perpetuadas por aqui, não são VERDADES, não são SEGURAS, não são PARA VOCÊ!

·         Limitação de conhecimento. Existem sim, praticantes que sabem muito sobre musculação.  Mas na prática, saber muito não é o bastante. Saber muito ainda é perigoso quando se fala em saúde. Os professores estudam durante vários anos, décadas, treinam com regularidade e ainda assim, possuem dúvidas. Vou te contar uma coisa que talvez você não saiba: Ainda hoje, com todo o avanço da tecnologia e ciência, não possuímos todas as respostas para a musculação. Nem mesmo os maiores estudiosos da área possuem. Então, se décadas de envolvimento não são suficientes, quem dirá somente a experiência prática.

·         O que se sabe é muito complexo. Apesar de não possuirmos respostas para todas as perguntas, para tantas outras já temos uma série de evidências que nos dão suporte para uma prescrição segura. E mesmo com essas evidências, montar o “quebra-cabeça” de um treino é muito complexo e requer muito cuidado e atenção.

A mensagem que espero deixar com este artigo é que você pode e deve se informar sobre treino, alimentação, fatores motivacionais e outros conhecimentos que são muito importantes para o seu sucesso com os seus objetivos e desejos. Busque por informação e converse com o seu professor/personal. Com toda a certeza ele poderá passar uma série de outras informações preciosas e muito mais específicas para você. Afinal de contas: ele te conhece, a internet NÃO.

Aqui no Vix Saudável nós temos uma infinidade de artigos, matérias e receitas para te ajudar a seguir fazendo boas escolhas. Fique a vontade e absorva o máximo de informações que puder, mas sempre converse com um profissional na hora de tomar as decisões.


Para baixar nosso e-book grátis com dicas de sucesso para a reeducação alimentar, clique aqui.
Para ver mais sobre alimentação, clique aqui

Para ver nossas matérias sobre exercícios físicos, clique aqui.
Para ver nossas matérias sobre procedimentos estéticos e fisioterapia, 
clique aqui.
Para conhecer nossas receitas saudáveis, 
clique aqui.

Ramon Luciano é graduado em educação física pela UFES/UNIROMA 2 (Tor Vergata - Itália) e atua como Personal Trainer em Vila Velha/ES. Siga @ramonluciano no instagram e no facebook.

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

#Vixreceitas Bolo de maçã funcional

Esse bolo é um presente pra quem ama bolo, pode ser servido quentinho ou frio pra aquecer a alma e o coração junto com aquele cafezinho coado na hora.


Ingredientes

- 3 ovos
- 1/2 xícara de leite (use leite de coco para a versão sem lactose, tem receita aqui)
- 1/3 de xícara de óleo
- 1 maçã cortada em 4 (ou 1 1/2 se for daquelas pequenas como as minhas)
- 1 xícara de açúcar mascavo ou demerara
- 1 colher de canela
- 1 xícara de aveia (é só bater a aveia em flocos no liquidificador até virar farinha. Use aveia sem glúten para a receita sem glúten)
- 1 xícara de amaranto (ou 1/2 de amaranto, 1/4 de farinha de linhaça e 1/4 de chia)
- 1 maçã cortada em quadradinhos (ou 1 1/2 se for daquelas pequenas como as minhas)
- 1 colher de chá de fermento


Modo de fazer

Bata todos os ingredientes no liquidificador com exceção da maçã picada em quadradinhos e do fermento. Depois incorpore com delicadeza esses 2 ingredientes e coloque em forma untada e enfarinhada. Asse por 45 minutos.





Dicas

Se fizer a opção com linhaça e chia, mesmo depois de assado o bolo vai parecer meio molhadinho porque as duas são gelatinosas. Mas está assado!

Pra quem já tem o paladar mais acostumado a coisas não muito doces, pode usar metade do açúcar. Esse bolo fica bem docinho!

Quem testar a receita, não esqueça de postar uma foto bem linda usando a hashtag #vixreceitas

Para deixar suas receitas saudáveis ainda mais saborosas, aprenda a utilizar temperos naturais e como combiná-los de forma a deixar sua comida mais deliciosa sem deixar de ser saudável. O guia de temperos foi criado pela nossa colunista Chef Susan Martha. Saiba mais sobre o guia de temperos aqui.
A Susan também desenvolveu um guia de reeducação alimentar com mais de 90 páginas com receitas simples, saborosas e calculadas para caber no seu orçamento. Saiba mais aqui. 

Para baixar nosso e-book grátis com dicas e receitas para a reeducação alimentar, clique aqui.

Para ver mais sobre alimentação, clique aqui.


Para ver nossas matérias sobre exercícios físicos, clique aqui.
Para ver nossas matérias sobre procedimentos estéticos e fisioterapia, 
clique aqui.
Para conhecer nossas receitas saudáveis, 
clique aqui.

Meu nome é Maísa Pimenta, tenho 32 anos, casada. Sou engenheira de produção e um belo dia não entrei na minha calça 44. Decidida a não aumentar mais um número voltei ao manequim 38 com a ajuda de profissionais muito competentes. Apaixonada pelo novo estilo de vida decidi criar esta plataforma para ajudar quem queira seguir o mesmo caminho.


quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Agachamento tradicional x frontal, qual o melhor?


O #Agachamento é um exercício que ativa os maiores e mais poderosos músculos do corpo, muito utilizado por praticantes de musculação.

Desde a comprovação de seus efeitos, inúmeras variações vêm sendo desenvolvidas e testadas, especificamente, duas formas de agachamento vem sendo mais estudadas, sendo eles o agachamento tradicional (com a barra por trás) e o agachamento frontal. Embora ambos trabalhem de forma eficaz as #costas, #pernas e #glúteo, existem variações na técnica e envolvimento muscular, além de promoverem diferentes ativações.

Gullett e colaboradores (2009) selecionaram 15 indivíduos saudáveis e treinados e analisaram os efeitos do agachamento tradicional e frontal, comparando suas ativações através de eletromiografia (EMG) de superfície.

Inicialmente, foram realizadas duas séries de 3 repetições, sendo uma a 70% de 1RM (repetição máxima) e posteriormente, os sujeitos do agachamento tradicional chegaram a cerca de 90% de 1RM e os sujeitos do agachamento frontal atingiram 70% de 1RM.

Em relação aos níveis de ativação muscular foi constatado que ambos são semelhantes, mas deve ser considerado que no agachamento frontal, é utilizada menor carga. Foi constatado também que o agachamento tradicional gerou maior compressão no joelho comparado ao frontal.

Os resultados mostram que o agachamento frontal pode ser vantajoso para as pessoas que tem problemas no #joelho. O mesmo também é sugerido para pessoas com problemas que limitam a amplitude de movimento dos ombros!!!



Para baixar nosso e-book grátis com dicas de sucesso para a reeducação alimentar, clique aqui.
Para ver mais sobre alimentação, clique aqui.
Para ver mais sobre exercícios físicos, clique aqui.
Para ver mais sobre receitas fit, clique aqui. 

Personal Trainer e Mestrando em Bioquímica do Exercício
Apaixonado em endorfina e transformar corpos!
@taynanluchi


terça-feira, 1 de novembro de 2016

Álcool e emagrecimento combinam?






            Bom esta perguntinha é bem intrigante não é mesmo? Há muitos que pensam que somente atrapalhará na perda de peso se a bebida vier acompanhada dos petiscos. Mas será que o álcool combina com emagrecimento?

            Infelizmente, o álcool contém calorias. Com 7 calorias por grama, é aproximadamente 2 vezes mais calórico que proteínas e carboidratos (que têm 4 calorias por grama). Para se ter uma ideia, cada tulipa de chopp contém 130 calorias, o mesmo que um pãozinho francês! 

            Mas o que acontece quando ingerimos álcool?

O etanol vai para o estômago e para o intestino delgado através da boca e esôfago. Há uma enzima na parede do estômago, o álcool desidrogenase, que degrada uma quantidade do álcool. Quanto mais álcool degradado, menos vai para o sangue. A maior parte do álcool ingerido é absorvida pelo intestino delgado e vai diretamente para a corrente sanguínea. Apenas uma pequena proporção da quantidade de álcool absorvida é removida do corpo através da urina, suor e respiração. A maior parte do álcool continua a circular no sangue até que seja gradualmente processado pelo fígado.

            O etanol é uma caloria vazia e que não possui nutrientes para o corpo, por isso contribui para o aumento de peso, além de afetar o organismo e prejudicar na absorção dos nutrientes oriundos de outros alimentos. O organismo entende o álcool como tóxico e leva à excreção de outros nutrientes da dieta. Isso afeta o metabolismo e o crescimento de massa muscular, além de gerar desidratação e queda de desempenho.

            Mulheres fiquem atentas: o consumo de álcool para nós se torna ainda mais prejudicial. Nós possuímos em nosso organismo menos enzimas que degradam o etanol e também menos massa para processar o mesmo, isto favorecerá ao aumento de peso pelo consumo de caloria vazia.

             Um estudo realizado com 14 participantes tiveram amostras de seu sangue colhidas e fizeram ultrassons para que a quantidade de gordura no fígado de cada um fosse medida. Então, eles foram separados em dois grupos: um com 10 pessoas, que ficaram sem consumir uma gota sequer de álcool durante cinco semanas e outro com quatro, que continuaram a beber normalmente durante esse período.

Depois dessas cinco semanas, todos eles retornaram ao hospital e mais uma vez tiveram suas amostras de sangue colhidas e foram submetidos a exames de ultrassom para descobrir o que tinha acontecido com quem tinha deixado de beber.

O resultado foi que os participantes que ficaram sem álcool durante essas cinco semanas tiveram uma diminuição de 2% no peso corporal, de 5% da taxa de colesterol, de 16% do nível de glicose e 15% do teor de gordura no fígado.

Além disso, os sóbrios também aumentaram em 10% a qualidade de seu sono, ficaram 9,5% mais despertos, 18% mais concentrados e experimentaram uma melhoria de 17% no desempenho de seu trabalho.


Segue abaixo uma tabela com as calorias relativas a cada bebida:



Bebida
Calorias
Cerveja - lata 355 ml
150 cal
Chopp - tulipa 300 ml
130 cal
Cerveja light ou sem álcool 300 ml
75 cal
Caipirinha com açúcar 100 ml
250 cal
Caipirinha com adoçante 100 ml
170 cal
Cachaça 100 ml
230 cal
Batida c/ leite condensado 200 ml
350 cal
Champanhe – taça 125 ml
80 cal
Cuba libre c/ coca light
80 cal
Licor 30 ml
110 cal
Orloff Ice 290 ml
190 cal
Saquê 100 ml
130 cal
Uísque 50 ml
120 cal
Vinho tinto/branco doce 150 ml
210 cal
Vinho tinto/branco seco 150 ml
130 cal
Vodka 50 ml
120 cal



            No mais, se ainda estas informações não fizeram que você mudasse de ideia. Veja as seguintes orientações para que você possa incluir a bebida alcoólica:

·         Se você deseja incluir bebidas alcoólicas na dieta, é necessário planejar com antecedência esse consumo, do mesmo modo que se faz com os alimentos. Isto significa limitar seu consumo e assegurar que o álcool não fará com que suas restrições alimentares sejam inúteis.

·         Intercalar: tente sempre intercalar as bebidas alcoólicas com água. Tome bastante água antes de começar a bebida alcoólica, assim você evita matar a sede com esta bebida.

·         Coloque em sua bebida pedras de gelo. Isto garantirá pelo menos uma mínima hidratação corpórea.

·         Tenha limites quanto a ingestão de álcool. Lembre-se, o álcool que acaba com nossa vida e não ao contrário!

·         Prefira alimentos com baixo teor de gordura e carboidrato quando for petiscar. Prefira os alimentos mais proteicos.





Para baixar nosso e-book grátis com dicas de sucesso para a reeducação alimentar, clique aqui.
Para ver mais sobre alimentação, clique aqui
Para ver nossas matérias sobre exercícios físicos, clique aqui.
Para conhecer nossas receitas saudáveis, 
clique aqui.



Nutricionista Isabela Faria Campos    
CRN-ES 13101141
Sócia e Proprietária da Clínica Espaço Nutrir. Graduada no curso de Nutrição pela Universidade Federal do Espírito Santo.
Pós graduada em Nutrição Funcional e Nutrigenômica: Implicações Práticas na Nutrição Clínica e Esportiva. Mestranda em Ciências da Saúde pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.
Nutricionista voluntária na Associação Crescer Com Viver. CRN.ES-13101141